About me





   I’m a late bloomer… it took me about thirty years to figure out what I wanted to do with my life.
   Despite my education being an artistic one (photography and textile design) financial necessity made me follow another path.
   My super-power being organizational skills, I’ve done dull work all my life, taking whatever came my way, to survive, the computer being my working tool for a long time.
   Then came the financial crisis that saved my life. ;)
   Not being able to afford what I needed, and being a very crafty person, I started making the things I wanted and couldn’t buy. My house is full of homemade objects; lamps, pillows, decoration items and even some pieces of furniture. I didn’t have any money but I had a lot of spare time, so I started to learn “things” online, mostly on YouTube.
   It wasn’t long before I thought about capitalizing on my skills. I started making jewelry, crocheted and knitted items, etc… They didn’t sell too well, not enough to keep me going anyway. The mass production offer is so great and inexpensive nowadays that artisanal handicrafts are undervalued. I decided it wasn’t worth it the day a friend asked me to make her a crocheted vest like the one she had seen at Zara. It would have taken me at least a week to do, they were on sale for twenty or thirty Euros…
   I was broken, desperate, and worse, I was completely crazy about the manual activity and didn’t want to have to go back to my computer. I thought about it for some time and concluded that I had to create unique pieces, something that you couldn’t find anywhere else.
   So, for a few months, in secret, I created like a woman possessed. Then came the time to assess people’s response to my work.  So, timidly, I started to share it on Facebook and Instagram. People’s reaction was amazing, I could barely believe it.
   So here I am, starting my life after fifty, happy, hopeful, enthusiastic, felling like if I was in love for the first time.

   Just a few words about my personal life: I’m a Portuguese woman that left Lisbon about thirteen years ago to come to Sintra (best decision of my life), where I live, with my son, his father, two cats, a dog and a false coral snake, in a beautiful house with a small garden, in a very peaceful neighborhood. I’m very happy (even wrote a book on the subject) and believe we all should work to be happy, the world would be a much better place. ;)



-------



     Tardiamente descobri a minha vocação… levei cerca de trinta anos a perceber o que queria fazer com a minha vida.
   Apesar de ter seguido a via artística em temos de educação (fotografia e desenho têxtil) as necessidades financeiras obrigaram-me a seguir outro caminho.
   O meu super-poder sendo a organização, acabei por fazer trabalho chato toda a minha vida, agarrando tudo o que viesse à rede para sobreviver, o computador sendo a minha ferramenta de trabalho durante muito tempo.
   Chegou então a crise, que me salvou a vida. ;)
   Sem poder financeiro, e sendo uma pessoa muito manual, comecei a fazer as coisas que não conseguia comprar. A minha casa está cheia de objectos feitos à mão; candeeiros, almofadas, artigos de decoração e até algumas peças de mobília. Não tinha dinheiro mas, por outro lado, tinha muito tempo, comecei portanto a aprender “coisas” online, maioritariamente no YouTube.
   Não demorou muito até que começasse a pensar em fazer render as minhas habilidades. Comecei a fazer bijuteria, artigos em croché e em tricot, etc… Não conseguia vender grande coisa, pelo menos não o suficiente para me manter à tona. A oferta de produção em massa é tão gira e barata hoje em dia que o artesanato está subvalorizado. Decidi que não valia a pena no dia em que uma amiga me pediu para fazer um colete em croché como um que tinha visto na Zara. Demorar-me-ia pelo menos uma semana a fazer, estava à venda por vinte ou trinta euros.
   Estava falida, desesperada e, pior, estava doida por esta actividade manual e não queria de forma alguma voltar para o computador. Pensei no assunto durante algum tempo e conclui que tinha de criar peças únicas, que não se encontrassem em mais lado nenhum.
   Assim, durante uns meses, criei em segredo, como louca. Até que chegou o momento de testar a receptividade das pessoas ao meu trabalho. Assim, timidamente, comecei a partilha-lo no Facebook e no Instagram. As reacções foram fantásticas, nem queria acreditar.
   Cá estou eu então, a começar a vida depois dos cinquenta, feliz, esperançada, entusiástica, sentindo-me como se estivesse apaixonada pela primeira vez.


   Só umas palavrinhas sobre a minha pessoa: Sou uma mulher portuguesa que deixou Lisboa à cerca de treze anos para se vir refugiar em Sintra (a melhor decisão da minha vida), onde vivo com o meu filho, o pai dele, duas gatas, uma cadela e uma cobra, numa simpática casa com um jardinzinho, numa zona muito calma e acolhedora. Sou muito feliz (até escrevi um livro sobre o tema) e acredito que todos deveríamos fazer por sê-lo, o mundo seria um sítio muito melhor. ;)